terça-feira, 5 de março de 2013

As novelas das 21 horas!

Glória Peres é uma autora admirável. Gosto da criatividade dela e da preocupação com temas importantes, apesar de achá-la confusa. Sim, uma novela tem tantos, mas tantos núcleos diferentes e que não se cruzam, que poderia fazer várias novelas sobre cada um deles. Sem falar na facilidade de transporte entre países tão distintos, que é no mínimo intrigante.
Salve Jorge é exemplo claro disso, é uma novela de encher os olhos. As pessoas são bonitas, vivem na moda e as paisagens são belíssimas. Sem falar na produção impecável, marca da TV GLOBO.
A novela não agradou desde o início, até achei que fosse por causa da antecessora, Avenida Brasil. Qualquer uma que viesse depois, pagaria pela mudança de conceito da inesquecível novela da Carminha, Nina e Tufão. Mas não é isso, acho que a novela poderia ser melhor. O enredo poderia ter mais peso.
Glória tem entrado em discussões desnecessárias nas redes sociais. A sigo no Twitter e já vi várias vezes discutindo com os telespectadores que criticam a novela e apontam erros graves. Como por exemplo, Mustafá que não conhecia Morena, mas já tinha encontrado com ela na morte de Jéssica. Outro dia teve que corrigir o fato do inspetor Barros não conhecer Wanda, sendo que já tinha investigado a safada.
São tantos personagens, que enfraquece a história. Às vezes tenho a impressão que alguns não fazem mais parte da novela. Por mim o grupinho que fica lá na Capadócia não precisaria existir, não há espaço para aquela gente toda, nem para a família do Mustafá. Só aí já dava uma outra novela. Dava destaque principal para o tráfico de crianças, para a cultura turca e juntava aquelas ricas, a Bianca e a amiga que nem o nome deu pra gravar. Em outro Salve Jorge o morro poderia ganhar destaque, a vida das pessoas, os personagens com mais envolvimento na história, a vida no regimento do Theo, o núcleo tráfico com cenas de ação, a delegacia com mais intensidade e falas da Thamy Gretchen... acho que só aí a novela já ganharia mais telespectadores.
Sinto falta de cenas mais reais do núcleo do tráfico e um texto mais envolvente, algumas passagens se arrastam. O telespectador não se sente atraído pela novela, prova disso é o ibope que oscila horrores. Não há uma continuidade marcante que te faça assistir no dia seguinte. Resultado disso é que a novela não será "esticada". Deve terminar no período pré-determinado. E aí vem mais uma que me parece um erro. A novela de Walcyr Carrasco tem nome provisório de "Em nome do pai", estaria atrasada, há boatos sobre o elenco, mas nada definido. A história está sendo escrita e me deu certo arrepio. O núcleo principal seria um triângulo amoroso, formado por 3 lindos homens. Acho um tema arriscado, não sei se estamos tão abertos assim para acompanhar este tipo de romance em uma novela. Longe de mim homofobia, mas se a ideia é superar Avenida Brasil e ser uma nova marca na história da TV, acho que não seria esse o caminho. Fica a dica para o Walcyr.

3 comentários:

Eduardo Santos disse...

O maior pecado do mundo:

A Mila, cedinho, fazendo a previsão do tempo, na rua, com esse frio!!!

Deveria ser proibido!!! :-)

Own Princesa!!! *-*

Eduardo Santos disse...

Mila

Teu sorriso me encanta!!!

É maravilhoso...

AMO!!! *-*

Eduardo Santos disse...




A Mila é Linda Di Morrê!!!!!!! :-)